Conheço a Cami já tem uns bons anos, na época a gente estudava em colégios diferentes, mas tínhamos amigos em comum. Hoje nosso maior contato é pela internet (espero que não seja assim pra sempre), nos Flickr‘s e Twitter‘s da vida, onde acompanho suas experiências analógicas (ela tem uma Eximus e uma Diana F+) e digitais, hehe. Mas é engraçado como a gente tem carinho por pessoas que nem convivemos muito. :)

Dia 19 de abril rolou um workshop da Fisheye na Lomography Gallery Store de São Paulo, e o que mais me chamou a atenção é que seria a noite, e geralmente, a gente fica muito mais receoso em fotos noturnas, então achei que seria uma boa oportunidade pra tirar dúvidas. Mas acontece que no dia eu tinha aula e não poderia faltar, e daí surge a Cami pra nos salvar! Conversei com ela pra fazermos um post parecido com o que fizemos sobre o workshop da Diana F+ que a Tadsh foi, ela super topou em responder as perguntas e mandou algumas fotos do dia pra gente. :)

null

Pra quem quer saber mais sobre a câmera, a Julie já fez um “Revelei” da Fisheye aqui no blog, e agora vou colocar as perguntas que a Cami respondeu:

1. Você sentiu dificuldade em manusear a câmera?
Antes de entregar a câmera pra gente, o Gabriel – que é o gerente – explicou toda a funcionalidade da Fisheye e tirou as dúvidas que foram surgindo. Como a Fisheye é uma câmera simples, bem point and shoot, o manuseio foi bem tranquilo. Só tem que ficar atento e mudar os interruptores quando a intenção for de fazer dupla ou longa exposição.

2. Colocação do filme, foi difícil?
Acho que o filme 135mm é um dos mais fáceis de colocar, e como já estou acostumada não tive problemas. O Gabriel fez um passo a passo pra quem se sentiu inseguro na hora.

null

3. O que você achou mais complicado?
Não diria que foi complicado, mas entender como funciona o enquadramento de uma lente com 170° foi bem diferente. O Gabriel acabou dando dicas para aproveitar essa particularidade da lente, e o mais divertido é chegar bem próximo do objeto, pra aproveitar o efeito “Fisheye”.

4. As fotos foram feitas a noite, certo? Como?
O Gabriel nos deu duas opções de filmes pra escolher: um negativo ISO400 (o mais indicado pra situação e para a câmera) e pra quem quisesse arriscar, um positivo ISO 100. Como nunca tinha fotografado com esse tipo de filme, escolhi experimentar o famoso “Processo Cruzado”, mesmo sabendo que o ISO era baixo pra foto noturna.

A Fisheye tem uma sapata universal, o que permitiu que usássemos o flash da Diana F+. Procurei fotografar em ambientes que tivessem um pouco de iluminação, como vitrines e aproveitando os faróis dos carros na rua… Mas acabou não sendo suficiente :( Agora que revelei o filme, acho que deveria ter arriscado em longas exposições. Mas estava tão empolgada no hora que nem pensei direito nessa possibilidade. Fuén.

null

null

5. Suas considerações finais
A experiência do workshop foi ótima. Acho que todo mundo deveria tentar ir um dia pra ver como é e trocar experiências com a turma.

O bate papo que rola antes da saída é uma das coisas mais legais, porque conversar com pessoas que também são apaixonados por Lomografia é muito amor. E acho que a liberdade de poder fotografar sem se preocupar com regras de “certo ou errado” é que torna tudo ainda mais divertido.

A saída foi incrível mesmo meu filme não tendo rendido quase nada. O bom disso é o que fica de lição e que acho importante dividir:

– Fotos a noite só com ISO bem alto e flash, ou com longa exposição. Sem medo de arriscar :)

– Outra experiência que acho bacana dividir: Moro em Guarulhos e lá não tem nenhum lab que faça processo cruzado, e mesmo trabalhando na Vergueiro, não encontrei nenhum próximo que desse pra levar na hora do almoço. A solução que encontrei foi o Laboratório 337 [ele aparece junto com uma lista de laboratórios que fizemos aqui]. Eles trabalham com esquema delivery e não cobram nada por isso. O único problema é que por telefone disse que queria relevar em processo cruzado, mas revelaram como negativo. Então se alguém for pedir alguma coisa diferente, acho bom fazer uma cartinha pra entregar junto com o filme pro motoboy. E ligar lá depois e reforçar.

Preços:

Revelação fime: R$ 9,90 | Ampliação: R$0, 35 por foto | Scanner: R$23,00

null

Bom, então queria agradecer novamente a Cami pela ajuda, e espero que tenham gostado! Pra quem ficou interessado, vale ficar de olho na página da Lomography Gallery Store SP, onde sempre são divulgados datas e horários dos workshops. :)